BP tem dificuldade em conter vazamento no Golfo

Saliência impediu que tubo fosse enfiado em buraco; nova tentativa deve ser ainda hoje

Agência Estado e Associates Press,

15 Maio 2010 | 16h33

Técnicos da BP atingiram uma saliência em sua última tentativa de conter o vazamento de petróleo no Golfo do México, ao guiar um fino tubo de 1,6 quilômetro de extensão dentro do poço para sugar o petróleo para a superfície, disse neste sábado o secretário do Interior dos Estados Unidos, Ken Salazar.

 

Veja também:

Vazamento pode ser 14 vezes maior que o estimado

"Houve um problema. Eles tiveram de reajustar o plano. Eles estão enfiando o tubo de novo, tentando inseri-lo", disse o secretário a repórteres durante uma entrevista em uma instalação para resgate de aves em Louisiana, mas não deu mais informações.

 

Enquanto isso, veterinários trabalham na limpeza de animais e tentam diminuir impacto ambiental na região do Golfo do México. Fotos: Hans Deryk/Reuters eCharlie Riedel/AP 

A BP também deu poucos detalhes em relação aos progressos na tentativa de inserir o tubo de 15 centímetros de diâmetro no cano de 53 centímetros do qual jorra petróleo vindo do fundo do oceano. O porta-voz da empresa disse que os técnicos estão continuando o trabalho metódico que começou na manhã de sexta-feira, usando controles para guiar os robôs submarinos que são manipulados por contração.

 

"Nós nunca fizemos tal operação antes e precisamos fazê-la no nosso tempo para tudo dar certo", disse o porta-voz Jon Pack em um e-mail neste sábado, após os comentários de Salazar. A intenção é que o tubo sugue o petróleo, como um canudo, para um tanque na superfície, enquanto um tampão ao redor dele impediria o petróleo de vazar para o mar.

Mais conteúdo sobre:
EUA vazamento de petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.