Reuters
Reuters

BP obtém êxito na primeira fase de novo plano para conter vazamento

Robôs submarinos conseguiram serrar uma tubulação onde ocorre o enorme vazamento no Golfo

KRISTEN HAYS, REUTERS

03 Junho 2010 | 13h30

Os robôs submarinos da britânica BP conseguiram serrar com sucesso uma tubulação onde ocorre o enorme vazamento de petróleo no Golfo do México na manhã desta quinta-feira, 3. A empresa tentará agora instalar uma cúpula e desviar o petróleo para a superfície, informou uma autoridade norte-americana que supervisiona os trabalhos.      

 

 

Veja também:

Fitch e Moody's reduzem avaliação da BP

Obama quer revisar política energética

Falha adia 3ª tentativa; mancha triplica

Óleo pode ser visto a 15 km da Flórida

EUA abrem investigação judicial

BP inicia arriscada operação

 

 

"Acabamos de cortar a tubulação do aparato marinho inferior," disse o almirante Thad Allen, da Guarda Costeira dos Estados Unidos, em uma entrevista coletiva em Metairie, Louisiana.      

 

 

"O passo seguinte será instalar uma cúpula de contenção sobre o que restou da tubulação e começar a ver se conseguimos levar gás e petróleo pela tubulação," disse Allen.    

 

 

Ele classificou a ação de cortar a tubulação como "um avanço significativo" na série de tentativas até agora fracassadas da BP de parar ou conter o vazamento que lançou cerca de19 mil barris por dia de petróleo no mar ao longo de seis semanas.    

 

 

A BP usou enormes cisalhas (tesouras mecânicas) para cortar a tubulação. Esforços anteriores usando uma serra com diamantes fracassaram, possivelmente porque o equipamento apresentava muita resistência, afirmou Allen.    

 

 

O próximo passo da BP é baixar a cúpula no que restou do aparato, na esperança de que a tampa conterá a maior parte do vazamento de petróleo e gás, afirmou Allen. Um equipamento será colocado sobre o vazamento para levar petróleo e gás a um navio-tanque na superfície.    

 

 

Como a BP teve de abandonar os esforços de serrar a tubulação com a serra de diamantes, o corte agora ficou mais irregular do que o planejado. Isso significa que a BP não será capaz de conter a quantidade de petróleo que esperava.

 

Cobrança de US$ 69 milhões

 

O governo americano vai enviar nesta quinta-feira, 3, uma conta de US$ 69 milhões para a companhia British Petroleum cobrir despesas relacionadas ao vazamento no Golfo do México.

 

"O governo federal, em algum momento desta quinta-feira, vai enviar uma conta de US$ 69 milhões de despesas até o momento para que a BP reembolse os contribuintes", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.

Mais conteúdo sobre:
BPVAZAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.