BP diz que conseguiu conter parte do vazamento no Golfo do México

Empresa britânica afirmou que está contendo um quinto do petróleo que sai do fundoo do mar

Reuters

17 Maio 2010 | 10h26

GALLIANO - A gigante do setor energético, a British Petroleum disse nesta segunda-feira, 17, que estava conseguindo conter cerca de um quinto do petróleo que está vazando no fundo do mar no Golfo do México e esperava aumentar essa quantidade antes de tentar conter completamente o vazamento no final desta semana.

 

Mas a BP, cujas ações se recuperaram depois da notícia da limitada contenção, ainda tem que responder a duros questionamentos do governo e da população americana sobre a extensão do derramamento e seus efeitos sobre a economia e o meio-ambiente na costa dos EUA.

 

"Estamos concentrando todos os nossos esforços nisso" disse o chefe de operações da BP Doug Suttles à CNN. O vazamento ameaça a se tornar o pior desastre ecológico dos EUA, ultrapassando o acidente de 1989 da Exxon Valdez no Alasca.

 

Suttles disse que um tubo inserido no cano de extração do fundo do oceano, a cerca de 1,6 km de profundidade, está em operação a 24h e está retirando cerca de mil barris por dia, cerca de um quinto da quantidade total estimada de vazamento por dia.

 

"Isto está apenas contendo o fluxo. Mais tarde nesta semana, de preferência antes do final dela, nós faremos nossa próxima tentativa de conter completamente o vazamento", disse Suttles ao jornal da NBC "Today".

 

O governo de Obama recebeu as notícias com cautela, dizendo que a inserção do tubo "não é uma solução para o problema".

 

O próximo passo envolveria uma opção chamada de "morte certa" no qual engenheiros usando robôs submarinos tentariam atiram uma pesada "lama", uma mistura de materiais sintéticos, no cano de vazamento para formar uma barreira e prevenir que petróleo e gás escapem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.