Reuters
Reuters

BP declara fracassada tentativa de contenção de vazamento de petróleo

'Depois de 3 dias tentando conter vazamento, fomos incapazes de parar fluxo', diz empresa

estadão.com.br,

29 Maio 2010 | 19h50

WASHINGTON - A companhia British Petroleum (BP), responsável pelo vazamento de petróleo no Golfo do México, anunciou neste sábado, 29, que a operação para fechar o poço por meio da injeção de fluidos pesados, como lama, não obteve sucesso, e que passará a tentar um novo método.

 

Veja também:

mais imagens Golfo do México: Natureza ameaçada

linkArtigo: Vazamento ainda não é o Katrina de Obama

 

Em entrevista coletiva, o diretor de operações da BP, Doug Suttles, disse que a decisão da adoção de uma nova medida - a de cobrir o poço com uma cúpula - foi tomada após consultas com as autoridades federais. "Depois de três dias completos tentando conter o vazamento, fomos incapazes de parar o fluxo de petróleo", afirmou.

 

A operação "top kill" foi iniciada na quarta-feira. A esperança da BP era que a pressão da lama injetada fosse suficiente para conter o vazamento, mas cerca de 12 mil a 19 mil barris de petróleo continuam a vazar a cada dia no Golfo do México.

 

O vazamento ocorrido depois da explosão da plataforma Deepwater Horizon já é o maior da história dos EUA, superando o que foi causado pelo naufrágio do petroleiro Exxon Valdez em 1989. Mais cedo, Suttle disse que a BP já gastou US$ 940 milhões nas tentativas de conter o vazamento.

 

(Com agências internacionais)

Mais conteúdo sobre:
BPvazamentoGolfo do México

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.