Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Borra de petróleo já atingiu quatro áreas de mangues em Pernambuco

Nesta terça-feira, 29, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, disse que houve registro de novas manchas em 19 localidades do Nordeste

André Borges, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2019 | 19h38

BRASÍLIA - O piche que suja o Nordeste brasileiro já atingiu pelo menos quatro áreas de mangues de Pernambuco, um ecossistema rico em biodiversidade e que, uma vez contaminado, torna-se praticamente impossível de ser limpo, por causa do emaranha doe suas raízes, da vegetação e da composição do solo desses locais.

A contaminação foi confirmada pela Marinha. Há relatos de contaminações de mangues em outros Estados, como Alagoas e Bahia. O trabalho de limpeza dessas áreas é feito com as mãos, dada a complexidade e fragilidade dos manguezais.

Segundo o almirante da Marinha, João Alberto Lampert, por causa do ineditismo da situação, não havia um protocolo ambiental sobre como lidar com esse tipo de contaminação de mangues.

Para Entender

Entenda o vazamento de petróleo nas praias do Nordeste

Óleo se espalha pelos 9 Estados da região. O poluente foi identificado em uma faixa de mais de 2 mil quilômetros da costa brasileira

“Fizemos um congresso científico em Pernambuco. Estamos reunindo informações com universidades e institutos para fazer maiores estudos e o estabelecimento de protocolos específicos que podem ajudar a lidar com isso”, comentou Lampert.

Nesta terça-feira, 29, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, disse que houve registro de novas manchas em 19 localidades do Nordeste, mas não deu detalhes sobre essas localidades. O governo tem afirmado que, apesar das novas ocorrências, o volume total do petróleo cru tem diminuído. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.