Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Bolsonaro diz que pode revisar áreas de proteção e 'desmarcar por decreto'

Presidente afirmou que tem conversado com governadores e voltou a citar a ideia de transformar Angra em uma 'Cancún brasileira'

Teo Cury, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2019 | 13h42

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quinta-feira, 11, a parlamentares evangélicos, durante café da manhã realizado no Palácio do Planalto, que tem conversado com governadores para revisar áreas de proteção ambiental, como a Estação Ecológica de Angra dos Reis, no litoral fluminense, e "desmarcar muita coisa por decreto". Ele afirmou aos parlamentares que há um "aparelhamento" de legislação. 

O presidente voltou a dizer que pretende transformar a baía de Angra dos Reis em uma "Cancún brasileira" com "dinheiro de fora".

"Mas o decreto que demarcou a Estação Ecológica só pode ser derrubado por uma lei. Conversei com o (Ronaldo) Caiado (governador de Goiás) neste sentido, com o governador do Pará (Helder Barbalho) também. Estamos conversando com vários outros governadores no sentido de nós nos unirmos e desmarcar muita coisa por decreto no passado para poder fazer com que o Estado possa prosseguir", disse.

Angra dos Reis, a 'Cancún brasileira'

Em maio, o presidente já havia afirmado que pretendia transformar o local onde foi multado em 2012 por pesca ilegal, em Angra, em uma "Cancún brasileira". "Hoje em dia o que sobrou para mim foi a caça submarina. Pretendo implementá-la ali na região de Angra. Lá é uma Estação Ecológica demarcada por decreto presidencial. Estamos estudando nesse sentido, né, revogar isso aí e abrir aquela área para fazer um turismo, realmente, que o Brasil merece", disse na ocasião. "A iniciativa privada vai investir ali naquela região, e quem sabe nós tenhamos uma Cancún aqui na baía de Angra brevemente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.