Biólogos salvam 11 baleias encalhadas em praia da Tasmânia

Profissionais colocaram chips nos animais para vigiar progresso do grupo; voluntários participaram da operação

Efe,

23 Novembro 2008 | 10h33

Um grupo de 65 pessoas, formado por biólogos e voluntários, salvaram neste domingo, 23, onze baleias encalhadas em uma praia na Tasmânia, ilha-estado da Austrália. O grupo, contudo, falhou ao devolver para o mar outras 53 espécies encontradas junto delas, que morreram na areia.   Foto: AP   "O resgate começou pela manhã. Transportamos doze baleias-piloto da praia de Anthony, onde foram encontradas ontem, até a praia de Godfrey, a 17 quilômetros de distância", informou o chefe de Serviços de Parques e Fauna da costa oeste da Tasmânia, Chris Arthur.   Cerca de 60 voluntários participaram do resgate do grupo de baleias formado por tipos jovens e suas mães, que agora enfrentam um momento crítico em que poderiam voltar a se perder e encalhar novamente.   Os biólogos colocaram chips de rastreamento em alguns dos cetáceos e realizaram um seguimento aéreo da zona para vigiar o progresso do grupo, declarou Arthur.   Os animais mortos serão analisados e depois incinerados para evitar infecções na praia. Os casos de baleias encalhadas ocorrem freqüentemente na Austrália e Nova Zelândia por razões que não foram descobertas. Autoridades e voluntários se esforçam para salvar os animais quando o incidente acontece.

Mais conteúdo sobre:
Tasmânia Austrália baleias

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.