Baleeiro japonês detém dois ambientalistas na Antártida

Ativistas da Sea Shepherd Conservation Society haviam subido a bordo do navio sem autorização

EFE,

15 de janeiro de 2008 | 14h54

Um baleeiro japonês nas águas da Antártida mantém retidos dois ambientalistas, um britânico e um australiano, que subiram a bordo para protestar contra a caça de baleias, denunciou o grupo Sea Shepherd Conservation Society.      "Eles foram impedidos de deixar o navio após subirem a bordo e entregarem uma carta" de protesto, explicou o diretor internacional da Sea Shepherd, John Vasic, segundo a agência de notícias AAP.      Vasic identificou os manifestantes como o britânico Giles Lane, de 35 anos, e o australiano Benjamin Potts, de 28, que abordaram o baleeiro japonês, que tinha entrado ilegalmente na reserva de baleias do Antártico.      Os marinheiros japoneses mantiveram os ambientalistas atados a um mastro durante três horas, antes de colocá-los para dentro do barco.      "Temos uma foto que prova que estavam amarrados e foram mantidos no frio durante várias horas", explicou. O fato foi denunciado às autoridades britânicas e australianas.

Tudo o que sabemos sobre:
baleiasantártida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.