Australiano cria 'surfe de vulcão' na Nicarágua

Aventureiros podem descer ladeira de 500 metros sob prancha em encosta de vulcão ativo

BBC Brasil, BBC

23 Abril 2009 | 07h24

Um novo esporte radical, criado por um australiano na Nicarágua, está ganhando força: o surfe de vulcão.

  

Foto: Phillip Alexander Southan / Bigfoot Hostel

O esporte consiste na descida de uma encosta arenosa de um vulcão ativo sobre uma prancha especial.

Até agora, o esporte criado em 2005 só vem sendo praticado no Cerro Negro, um vulcão de 730 metros de altura no oeste da Nicarágua.

Mas segundo os guias responsáveis pelas descidas dos surfistas de vulcão no local, mais de 9.000 pessoas já se aventuraram por lá.

A descida da ladeira de 550 metros pode levar entre 20 segundos e 8 minutos, dependendo da velocidade, que pode alcançar os 80 quilômetros por hora.

Mas o esporte é relativamente seguro, segundo os seus criadores. "O maior risco é sofrer alguns arranhões por causa da areia vulcânica com cascalho", disse à BBC Brasil o instrutor Phillip Southan.

"Mas ao longo dos anos conseguimos limitar os riscos desenvolvendo pranchas mais seguras e com equipamentos de proteção como roupas e óculos especiais", afirma.

Os surfistas descem sentados sobre a prancha, fabricada com um assento de madeira compensada reforçada com metal sobre uma placa de fórmica.

De acordo com a instrutora Gemma Cope, a descida do vulcão de pé sobre a prancha não é recomendada para o tipo de solo, formado por areia vulcânica.

Segundo ela, descer de pé sobre a prancha reduz a velocidade e dificulta as manobras, tornando ainda as quedas mais frequentes.

"No final, mesmo quem tenta descer de pé acaba caindo tanto que desiste e termina de descer sentado de qualquer forma", diz ela.

O Cerro Negro é o vulcão mais jovem da América Central. Sua primeira erupção foi em 1850. Desde então, ele entrou em erupção mais de 20 vezes, a última delas em 1999.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
surfe vulcão nicarágua cerro negro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.