Austrália começa a vigiar caça a baleias por mar e ar

Navio gravará, com um equipamento de vídeo e fotografia, a atividade dos baleeiros japoneses

EFE,

07 de janeiro de 2008 | 14h26

ustrália começará esta semana a vigiar por mar e ar os baleeiros japoneses na Antártida, anunciou o ministro de Exteriores, Stephen Smith.      A embarcação Oceanic Viking, do Departamento de Alfândegas, zarpará nos próximos dias do porto de Perth, no sul do país, para uma missão de 20 dias nas gélidas águas e depois se unirá a ele um Airbus A-319 usado pela missão científica da Austrália no continente gelado, disse Smith, segundo a rádio estatal.      A nave gravará, com um equipamento de vídeo e fotografia, a atividade dos baleeiros japoneses e informará pontualmente ao governo australiano todas as incidências e o número de baleias capturadas e suas espécies.      A Comissão Baleeira Internacional pediu a Tóquio que detenha a caça de baleias, feita pelo Japão sob o argumento de estudos científicos.      Este organismo ratificou a moratória vigente desde 1986, que proíbe a caça de baleias com fins comerciais, apesar das pressões japonesas para que se levante o veto para as capturas em pequena escala.      A Noruega é o único país do mundo que permite a caça comercial de cetáceos, mas Japão e Islândia caçam mais de duas mil baleias por ano com fins "científicos", o que, segundo os grupos ambientalistas e o governo australiano, entre outros, é uma forma encoberta de caça para fins comerciais.

Tudo o que sabemos sobre:
baleiajapãoaustráliaantártida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.