Ativistas são detidos por cartaz antinuclear na Torre Eiffel

O cartaz é 'uma mensagem' aos participantes da UPM de que o Sarkozy 'está tentando vender energia nuclear'

Efe

13 Julho 2008 | 14h54

Doze militantes do Greenpeace foram detidos neste domingo, 13, em Paris, após colocar na Torre Eiffel um cartaz contra a política nuclear da França, informou a Prefeitura.   Foto: Reprodução/Greenpeace/Paris   A ação dos ativistas da organização ambientalista aconteceu no dia em que Paris reúne mais de 40 chefes de Estado e de Governo na Cúpula da União pelo Mediterrâneo (UPM) para lançar um novo marco de cooperação entre as duas margens desse mar.   Cerca de quinze militantes escalaram a estrutura da emblemática Torre Eiffel para colocar o cartaz, de 15 metros de largura e 15 metros de altura, com o logotipo radioativo no centro das estrelas da bandeira da União Européia.   A França assumiu a Presidência semestral da União Européia em 1º de julho.   O cartaz é "uma mensagem" aos participantes da cúpula de que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, está utilizando esta reunião "para tentar vender-lhes energia nuclear francesa", denunciou o Greenpeace, em comunicado.   Segundo a organização, a "perigosa agenda" do presidente francês "ameaça prejudicar a proteção do clima e colocar em perigo a segurança da região".

Mais conteúdo sobre:
energia nucleargreenpeace

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.