Ativistas protestam no último dia da COP-17

Liderados pelo Greenpeace, manifestantes criticam lentidão em negociações pelo meio ambiente.

Eric Brücher Camara, BBC

09 Dezembro 2011 | 18h37

Dezenas de ativistas fizeram uma manifestação ruidosa nesta sexta-feira, no último dia da Conferência sobre Mudanças Climáticas da ONU, a COP-17, em Durban, na África do Sul.

Liderados pela organização ambientalista Greenpeace, os manifestantes criticaram a lentidão das negociações e a atuação dos Estados Unidos. O protesto ocorreu nos corredores próximos à principal reunião plenária do encontro.

O presidente americano, Barack Obama, foi alvo de duras acusações

"Você disse que queria salvar o planeta. Onde está agora?", gritou o líder do Greenpeace, o sul-africano Kumi Naidoo, que chegou a ser retirado do local.

Naidoo também pediu a Obama que não atendesse as demandas de grandes empresas consumidores de combustíveis fósseis, mas, sim, o povo.

Cantando músicas sul-africanas, os ativistas acabaram cercados pela segurança das Nações Unidas. Uma hora hora e meia após início dos protestos os manifestantes foram expulsos do local. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.