Árvores 'absorvem menos CO2' em altas temperaturas

Estudo avaliou capacidade de árvores capturarem gás carbônico no hemisfério norte

BBC Brasil, BBC

03 de janeiro de 2008 | 12h15

Um estudo conduzido por uma equipe de cientistas de vários países mostrou que as árvores estão absorvendo menos gás carbônico no Hemisfério Norte à medida que as temperaturas aumentam.Os cientistas explicam que com o aquecimento global, nas últimas duas décadas a primavera tem chegado mais cedo e o inverno começado mais tarde no Hemisfério Norte, aumentando o tempo em que as árvores retêm suas folhas.Em tese, afirmam os especialistas, isso favoreceria a absorção de CO2 e a liberação de oxigênio na atmosfera. Mas o estudo, publicado na revista Nature, mostrou que, na prática, isso não está ocorrendo.Os cientistas analisaram imagens de satélites armazenadas durante 20 anos em estações de monitoramento na Sibéria, Alasca, Canadá e Europa. Eles observaram que a respiração das plantas, durante a qual emitem gás carbônico, aumentou mais do que a fotossíntese, processo em que os vegetais capturam CO2 da atmosfera para transformar em oxigênio.EquilíbrioO estudo conclui que se o aumento das temperaturas - que nessas regiões foi de até 1,1°C em duas décadas - significa uma menor absorção de CO2 pelas plantas, então a maior emissão de gás carbônico pode contribuir para elevar ainda mais os termômetros. "A informação que tínhamos dos satélites, de que a área verde estava se mantendo por mais tempo, era um sinal positivo", disse Anders Lindroth, da Universidade de Lund, na Suécia, um dos pesquisadores envolvidos no estudo."Era a esperança de que isso ajudaria a diminuir os efeitos provocados pelas crescentes emissões de carbono. Mas mesmo com a área verde, isso não significou um efeito positivo no equilíbrio da quantidade de carbono", afirmou.Para o coordenador da pesquisa, Timo Vesala, da Universidade de Helsinque, na Finlândia, "de fato isso representa um grande potencial para que o aquecimento continue aumentando".Na avaliação dos cientistas, os resultados são cruciais porque sugerem que as altas emissões de gases provocadas pelo homem vão acabar afetando o clima da atmosfera em vez de serem absorvidas de forma segura pelas árvores e pelo solo."Nós atualmente estamos tendo um desconto de 50% no impacto climático provocado pelas emissões de gases", disse o cientista climático John Miller num comentário à pesquisa, esclarecendo que metade das emissões de carbono são capturadas pelos oceanos e ecossistemas terrestres."Mas infelizmente não temos garantia de que esses 50% de desconto vão continuar, e se isso acontecer, vamos sentir os efeitos que as emissões de CO2 vão provocar no clima".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.