Estadão
Estadão

Artista transforma vidro descartado em arte e decoração

Débora Muszkat mostra como construir luminárias a partir de potes, alumínio e papelão em questão de minutos

O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2017 | 19h29

Um pote de vidro, uma lâmpada e um bocal com fio de energia, um suporte de alumínio ou papelão ondulado. Em poucos minutos, isso tudo se torna uma luminária com a ajuda de cola e tesoura. Acrescente tinta acrílica ou esmalte para colorir o vidro, ou tecido de renda, e as possibilidades de decoração são infinitas.

A artista plástica Débora Muszkat mostra como material descartado pode rapidamente ganhar novas utilidades. Ela usa um suporte de alumínio ou papelão para acoplar o bocal; por cima, vai o pote de vidro destapado e ornado com tintas ou rendas, de ponta-cabeça como uma abóbada. Tudo pode ser encontrado em lojas de materiais de construção e de tecidos.

No ateliê de Débora, o vidro está por todo lado: um lustre suspenso no teto, com ares medievais, é feito de potes azuis de perfume, presos a uma estrutura de ferro. Centenas de vasos transparentes compõem uma gaiola de ferro, redonda, presa ao teto. Na varanda, estilhaços de vidro formam um quadro colorido e transparente, que a artista montou há mais de dez anos. Débora trabalha com vidro desde 1984 e coleciona as peças de arte que construiu ao longo das décadas.

Neste ano a artista deu início a um projeto social para capacitar artesãos para desenvolver peças de design a partir de cacos de garrafa, frascos de perfume e outras embalagens que seriam descartadas.

O Instituto Debora Muszkat, onde funciona o ateliê, fica na rua Doutor Rui Batista Pereira, 125, no bairro do Butantã, e está aberto para visita às terças e sextas-feiras das 14h às 18h.

Mais conteúdo sobre:
Artesanato

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.