Ártico não terá mais gelo no verão dentro de dez anos

A Equipe Catlin de Vistoria do Ártico, liderada pelo explorador Pen Hadow, mediu a espessura do gelo

Associated Press,

14 Outubro 2009 | 19h32

O polo Norte vai se transformar em mar aberto durante os meses de verão dentro de uma década, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 14, por uma equipe de exploradores que visitou o Ártico durante três meses.

 

Gelo volta a se expandir no Ártico, após um dos piores verões

Viagem de navios alemães comprova degelo do Oceano Ártico

 

A Equipe Catlin de Vistoria do Ártico, liderada pelo explorador Pen Hadow, mediu a espessura do gelo enquanto passava, a pé e de trenó, pela parte setentrional do Mar de Beaufort no polo Norte neste ano, durante um projeto de pesquisa. As descobertas mostram que a maior parte do gelo da região está em seu primeiro ano, com apenas 1,8 metro de profundidade e derreterá no próximo verão.

 

Tradicionalmente, a região contém gelo mais espesso, com camadas diversas, e que não desaparece tão rapidamente.

 

"Com uma parte maior da região agora tendo gelo de primeiro ano, ela está claramente mais vulnerável", disse o pesquisador Peter Wadhams, parte do Grupo de Física do Oceano Polar da Universidade de Cambridge, que analisou os dados.

 

"A área agora tem mais chance de se tornar mar aberto a cada verão, trazendo para mais perto a data potencial quando o gelo de verão terá desaparecido por completo".

 

Wadhams disse que os dados da Equipe Catlin apoia o novo consenso de que o gelo do Ártico desaparecerá no verão dentro de 20 anos, com a maior parte do derretimento tendo lugar nos próximos dez.

Mais conteúdo sobre:
ártico efeito estufa aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.