Áreas de risco no Rio viram parques fluviais

Primeiro parque será construído no Rio Santo Antônio, em Petrópolis, e finalizado até o início do próximo verão

Agência Brasil

28 Janeiro 2011 | 14h50

O secretário estadual do Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, anunciou nesta sexta a criação de cinco parques fluviais nas áreas atingidas pelas chuvas na região serrana do Rio de Janeiro. Estima-se que sejam necessários R$ 190 milhões para a implantação do projeto.

 

Ao todo serão implantados 95 quilômetros de parques fluviais. Destes, 55 quilômetros serão localizados em áreas urbanas da região, com a criação de áreas esportivas e ciclovias. Os demais 40 quilômetros serão construídos nas áreas rurais, onde haverá um trabalho de reflorestamento e recomposição das matas ciliares. A ideia é preservar, pelo menos, 30 metros de largura em cada uma das margens.

 

De acordo com o secretário, o primeiro parque será construído no Rio Santo Antônio, em Petrópolis, e finalizado até o início do próximo verão. O segundo será o do Córrego Dantas, em Nova Friburgo, muito atingido pelas enxurradas. Os restantes serão distribuídos em vales no interior de Teresópolis.

 

“Parques fluviais são projetos que protegem os rios, as matas ciliares, o meio ambiente e protegem as pessoas. Vamos construir pelo menos 95 quilômetros de parques fluviais em áreas urbanas e rurais. Com isso nós garantimos o meio ambiente, as matas ciliares e também impedimos que famílias e agricultores sofram e até morram com as próximas enchentes”, disse Minc.

 

Segundo a Secretaria Estadual do Ambiente, o Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam) se reúne ainda nesta sexta para definir a liberação de R$ 5 milhões para o projeto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.