Aquecimento global continuará por pelo menos mais mil anos

Aumento das emissões de dióxido de carbono deve provocar uma elevação de pelo menos 4 metros o nível das águas do mar

Efe,

10 Janeiro 2011 | 10h05

O aumento das emissões de dióxido de carbono (CO2) terá previsivelmente um impacto sobre as temperaturas da Terra nos próximos mil anos e elevará em pelo menos 4 metros o nível das águas do mar, segundo as conclusões de um estudo publicado neste domingo na revista científica Nature.

 

Veja também:

especial Glossário sobre aquecimento global

especial O mundo mais quente

especial Rumo à economia do baixo carbono

 

A pesquisa, dirigida pelo professor Shawn Marshall, da Universidade de Calgary, no Canadá, prevê que o aquecimento global da atmosfera provocará um "colapso catastrófico" da placa de gelo ocidental da Antártida por volta do ano 3000.

 

O estudo, o primeiro com prognósticos para um prazo tão longo, foi realizado com programas de simulação de computador que exploraram os possíveis cenários em uma situação de "emissão zero" de CO2 a partir de 2010 e 2100.

 

O resultado foi que as regiões do hemisfério norte, no geral, serão menos afetadas que as do sul, embora a projeção é de que os padrões do clima em lugares como o Canadá mudem totalmente.

 

Grandes áreas do norte da África se transformarão em desertos e o aumento de até 5% da temperatura dos oceanos causará o colapso da camada de gelo ocidental da Antártida, uma superfície de 2,2 milhões de quilômetros quadrados, ou seja, equivalente a quatro vezes o tamanho da Espanha.

 

Marshall afirmou que "as águas oceânicas e parte do hemisfério sul têm uma inércia muito maior (de aquecimento)".

 

"A simulação demonstra que o aquecimento continuará antes de se deter ou ser revertido quando tomamos 10 séculos como escala de tempo", explicou Marshall, quem acrescentou que "as correntes de vento no hemisfério sul também poderiam ter um impacto".

Mais conteúdo sobre:
aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.