AP
AP

Após terremoto, Haiti vive caos ambiental

ONU afirma que despejo de entulhos e de resíduos hospitalares são alguns dos problemas mais graves

13 Março 2010 | 17h28

O Haiti está enfrentando um grande desafio ambiental, dois meses após o terremoto que arrasou o país e matou mais de 250 mil pessoas. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o país já tinha o maior índice de degradação ambiental do Caribe, e o tremor de terra só piorou a situação.

 

Entre os problemas que mais preocupam a agência da ONU, estão o despejo de entulhos, a eliminação de detritos nas cidades e de resíduos hospitalares. A Pnuma fez ainda um alerta, ressaltando a necessidade urgente de restauração do sistema de saneamento do país.

 

Veja também:

linkBrasil e mais 12 países farão reunião pelo Haiti

linkGrandes tenistas vão levantar fundos para vítimas do Haiti

 

Outra preocupação ambiental da ONU é a ameaça às florestas, já que houve aumento da demanda por madeira e outros produtos para reconstrução do país, onde milhões ainda estão desabrigados. Há ainda planos para a recuperação de incineradores e a criação de estações de biogás, que poderão utilizar lixo para gerar eletricidade.

Mais conteúdo sobre:
Planeta ONU Haiti degradação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.