Telma Vieira Correa/ Associação Moradores da Guarda do Embaú
Telma Vieira Correa/ Associação Moradores da Guarda do Embaú

Após 2 dias de combate às chamas, incêndio em parque em Santa Catarina é controlado

Instituto do Meio Ambiente do Estado calcula que a extensão da queimada equivale a aproximadamente 1.400 campos de futebol

Luciano Nagel, Especial para o Estado

12 de setembro de 2019 | 15h38

Um incêndio destruiu uma área de aproximadamente mil hectares no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, situado em Palhoça na Grande Florianópolis, em Santa Catarina. Segundo os Bombeiros de Palhoça, o fogo teve início na terça-feira, 10, mas relatos de moradores da Guarda do Embaú, indicam que havia grandes focos fumaça já no dia anterior, 9. O Parque Estadual da Serra do Tabuleiro é considerado uma das maiores unidades de conservação ambiental de Santa Catarina, totalizando 84 mil hectares a abrangendo 8 cidades catarinenses, entre elas: Florianópolis, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Bonifácio, Palhoça, Paulo Lopes e Garopaba, na Grande Florianópolis, e Imaruí, no Sul do Estado.

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) calcula que a extensão da queimada equivale a aproximadamente 1.400 campos de futebol. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Palhoça, o trabalho de combate às chamas mobilizou cerca de 100 bombeiros militares e civis de Palhoça e também dos municípios de Camboriú, Porto Belo, Itapema, Brusque, São Jose, Santo Amaro, Tubarão, Itajaí e Criciúma. "O fogo já está controlado. Estamos aguardando uma chuva prevista para a tarde desta quinta-feira, 12, para amenizar a situação. Temos uma força-tarefa que está no local controlando os pequenos focos. A população local também se preocupou em ajudar no combate as chamas. Nosso comandante do Corpo do Bombeiros, Tenente Marcelo Pereira está neste momento no local agora, e poderá dar mais informações detalhadas hoje à tarde’’, adiantou o sargento Luís Carlos Gomes.

Pelo telefone, o militar comentou que o vento sul de terça-feira dificultou o combate às chamas no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. ‘’Esse vento (Sul) aproximava o fogo para perto de algumas residências, e foi preocupante, mas os bombeiros fizeram um trabalho forte para deter que o fogo se aproximasse das casas. Na quarta, o vento mudou para o sentido nordeste, o que ajudou os bombeiros no combate ao fogo’’, disse o sargento Gomes.

A área continuava sendo monitorada ao longo da manhã desta quinta-feira com o auxílio de drones, principalmente na região Sul do Parque. A Polícia Civil investiga as causas do incêndio na reserva florestal. Ouvido pela reportagem do Estadão, o geógrafo e coordenador do Centro de Visitantes do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, Luiz Pimenta afirmou que "infelizmente ainda é difícil de mensurar os danos ambientais, o impacto deste incêndio. Temos uma diversidade muito grande de animais dentro do parque, ou seja, mais de 200 espécies de aves e mamíferos, como o "gato do mato", um felino que está em extinção", disse.  Entre os animais resgatados durante o incêndio, em meio as cinzas, estava um Jabuti encontrado pelo soldado da Polícia Militar Ambiental (PMA) Leonardo Régis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.