RAPHAEL ALVES / AFP
RAPHAEL ALVES / AFP

Após demissão de diretor do Inpe, Bolsonaro diz que País está 'sob nova direção'

Presidente voltou a criticar a divulgação dos números do desmatamento classificando como “imprecisos”. Diretor Ricardo Galvão, pesquisador do Inpe desde 1970, esteve no centro da polêmica sobre os dados que mostram a alta

Renato Onofre, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2019 | 19h44

BRASÍLIA - Após a demissão do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galvão, o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para dizer que o País está “sob nova direção” e que “isso incomoda os traidores”. O presidente voltou a criticar a divulgação dos números do desmatamento no País classificando como “imprecisos”.

“Não podemos admitir sensacionalismo, ou divulgação de números imprecisos, que trazem enormes prejuízos à imagem do Brasil”, disse o presidente pelas redes sociais.

O diretor Ricardo Galvão, pesquisador do Inpe desde 1970, esteve no centro da polêmica com o presidente sobre os dados que mostram alta do desmatamento da Amazônia. Ele foi exonerado na sexta-feira, 2, após críticas do governo aos números que constataram aumento de mais 80% de áreas degradas identificadas pelo sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter).

“O BRASIL está sob NOVA DIREÇÃO e isso incomoda aos TRAIDORES DA PÁTRIA”, disse Bolsonaro grafando em caixa alta parte da postagem. “A Amazônia é nossa”, completou o presidente.

O presidente ainda disse que vai “atuar de forma eficaz no combate ao desmatamento ilegal” e que “países estão interessados em nossas riquezas e biodiversidade”.  “A Amazônia não pode ser entregue aqueles que destruíram suas florestas e agora querem se apoderar da nossa”, afirmou na postagem.

A publicação de Bolsonaro veio acompanhada com um vídeo do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, explicando as mudanças que pretende implantar no sistema de monitoramento do desmatamento do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.