AP
AP

Após ameaça de extinção, baleias azuis retornam ao Alasca

Essas baleias, provavelmente os maiores animais que já viveram no planeta, foram praticamente exterminadas

Associated Press,

18 Maio 2009 | 15h02

As baleias azuis estão voltando ao Alasca em busca de alimento, e podem estar restabelecendo uma antiga rota de migração, décadas depois de terem sido praticamente exterminadas por baleeiros comerciais, dizem cientistas.

 

Japão caça 680 baleias na Antártida e fica abaixo da meta

 

As baleias ameaçadas, provavelmente os maiores animais que já viveram no planeta, ainda têm de se recuperar do massacre mundial que eliminou 99% dos membros da espécie, de acordo com a Sociedade Americana de Cetáceos. A caçada atingiu o ponto máximo em 1931, com mais de 29 mil animais mortos em uma única temporada.

 

Essas baleias costumavam nadar do México e do Sul da Califórnia ao Alasca, mas estão praticamente desaparecidas das águas desse Estado americano.

 

Mas diversos avistamentos recentes de baleias californianas ao largo das costas do Alasca e do Canadá sugerem que os animais gigantescos estão se espalhando rumo ao norte outra vez, em busca de krill - um animal semelhante ao camarão - para comer, dizem cientistas em um artigo na revista especializada  Marine Mammal Science.

 

baleias azuis podem atingir 33 metros de comprimento e tipicamente consomem quatro toneladas de krill ao dia, durante o verão.

 

Pesquisadores obtiveram indícios da tendência em 2004, durante um levantamento da população de jubartes no Golfo do Alasca, disse o cientista Jay Barlow, da Administração Nacional de Oceano e Atmosfera (NOAA) dos EUA. Três baleias azuis foram avistadas.

 

"Ninguém tinha visto baleias azuis nestas águas desde o fim da caça às baleias", disse ele. Um total de seis baleias foram avistadas no Alasca naquele ano. As outras três estavam nas Ilhas Aleutas, mas essas pertenciam a um grupo do Pacífico Oeste,  perto da Rússia.

 

Em 2007, pesquisadores avistaram cinco de uma vez só, incluindo um par de mãe e filhote, perto das Ilhas da Rainha Charlotte, no Canadá. Três outras foram avistadas no dia seguinte.

 

Os cientistas não sabem com certeza por que as baleias voltaram a migrar para o norte. Uma teoria é de que as condições oceânicas mudaram, empurrando o krill mais para o norte. A mudança, acredita-se, é parte de uma variação normal na temperatura dos oceanos.

 

Estima-se que existissem 350 mil baleias azuis antes que os baleeiros as caçassem até a beira da extinção, no século 20. A Comissão Baleeira Internacional proibiu a caça de baleias azuis em 1966, mas a recuperação tem sido lenta. De acordo com a Sociedade Americana de Cetáceos, hoje existem de 8 mil a 14 mil desses animais.

Mais conteúdo sobre:
baleiasextinçãoalasca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.