EFE/FERNANDO TATABIGA
EFE/FERNANDO TATABIGA

Após 2 semanas em chamas, Parque da Chapada dos Veadeiros é reaberto

Incêndio foi totalmente controlado nesta terça; 66 mil hectares foram destruídos - o equivalente a 28% da unidade

Marilia Noleto, especial para o Estado

01 Novembro 2017 | 15h25

GOIÂNIA - Depois de ter grande parte consumida pelo fogo durante quase duas semanas no pior incêndio de sua história, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV) foi reaberto à visitação nesta quarta-feira, 1º. A movimentação foi registrada logo cedo.

+++ Fogo acaba e Parque da Chapada pode reabrir nesta semana

"Como é bom começar o dia recebendo nossos visitantes", celebrou o diretor Fernando Tatagiba.

+++ Acusações marcam apuração sobre causas do fogo

O incêndio foi totalmente controlado nesta terça-feira, 31, e deixou a marca da destruição em 66 mil hectares, o equivalente a 28% da unidade. Entre os pontos bastante afetados está a trilha para o Vale da Lua, um dos locais mais procurados pelos visitantes.

+++ Produtores rurais vão à Justiça contra ampliação de parque da Chapada

A ação de combate envolveu o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e de Goiás, o Grupo Ambientalista do Torto (GAT), além de uma ampla de rede de voluntários da Chapada dos Veadeiros.  A Força Área Brasileira (FAB), Polícia Militar do Distrito Federal e a Polícia Rodoviária Federal também apoiaram os trabalhos, cedendo aviões e helicópteros.

No total, foram mais de 500 voluntários mobilizados. No entanto, a maior das ajudas veio, literalmente, do céu. Após meses de seca na região, uma forte chuva caiu sobre a área da reserva na tarde no sábado, 28, auxiliando as equipes que trabalharam para debelar as labaredas.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros funciona de terça a domingo. A entrada é das 8 horas às 12 horas, e a saída até as 18 horas. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.