Ambientalistas resgatam urso que fumava e bebia cerveja

Mantido como atração turística em mosteiro, Martinica aceitava álcool e tabaco dos visitantes

EFE

13 de novembro de 2007 | 15h39

rso Martinica, que vivia em condições impróprias no mosteiro ortodoxo de Cotmeana (Arges) e que virou atração turística por fumar e beber cerveja oferecida pelos visitantes, foi salvo por protetores de animais da Associação Milhões de Amigos (Milioane de Prieteni).   A presidente da organização, Cristina Lapis, disse ao jornal Adevarul que o urso foi mantido em cativeiro durante quatro anos pelos monges e que seu estado era "terrível".   "O animal estava trancado em uma jaula de vários metros quadrados e quando chovia ficava na lama", ressaltou.   A ativista afirma que Martinica foi ensinado a beber cerveja e a fumar pelos turistas que se divertiam desta forma, diante dos olhares indiferentes dos empregados da Igreja, que ficavam felizes porque o urso atraía visitantes.   Após uma tentativa inicial de libertar o animal que acabou fracassando devido à oposição dos monges, os membros da associação, com a ajuda da Guarda do Meio Ambiente de Arges, conseguiram levar Martinica.   O animal agora se encontra na reserva Liberty de Zarnesti, na região do sul dos Cárpatos, com outros 29 ursos. Ele foi castrado, operação registrada pelo canal "Animal Planet".

Tudo o que sabemos sobre:
ursoromênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.