Ministério Público Estadual/Divulgação
Ministério Público Estadual/Divulgação

Ambientalistas fazem 'passarinhada' em defesa de várzea ameaçada por barragem

O 'pantanal paulista', como é conhecida a área, está ameaçado de desaparecer com a construção de uma barragem no Rio Piracicaba

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

21 Março 2014 | 19h46

SOROCABA - Ambientalistas fazem uma 'passarinhada' neste domingo, 23, em Piracicaba, em defesa das várzeas do Tanquã, conhecidas como o Mini Pantanal Paulista, ameaçadas de desaparecer com a construção de uma barragem no Rio Piracicaba. O evento, de observação e captura de fotos dos pássaros, visa a chamar a atenção para a riqueza da fauna da região e pela preservação do ecossistema.

A barragem, a ser construída em Santa Maria da Serra, faz parte do projeto do governo estadual de ampliação da Hidrovia Tietê-Paraná. Com a elevação no nível do rio para possibilitar a navegação, as várzeas do Tanquã serão cobertas pelas águas.

De acordo com ambientalistas, a área é conhecida como Pantanal Paulista por ser refúgio de aves aquáticas e migratórias, muitas delas típicas do Pantanal mato-grossense. Podem ser vistas no local espécies como o tuiuiú, cabeça-seca, colhereiro, garças e marrecas, inclusive uma população de marrecões que só ali se reproduzem fora de seu habitat, no sul do Brasil. Entre os animais, destacam-se o jacaré-do-papo-amarelo e o ratão-do-banhado.

Entidades como o Centro de Estudos Ornitológicos (CEO) e o Grupo de Interessados em Fotografia e Observação Ornitológica (Grifoo) confirmaram participação. Haverá barcos à disposição dos participantes. Entre as atividades, estão previstas palestras e concursos de fotografias de aves.

O Tanquã fica na divisa entre Piracicaba e Anhembi, com acesso pela rodovia Samuel de Castro Neves (SP-147). A obra da barragem está em processo de licenciamento ambiental. O Ministério Público Estadual (MPE) de Piracicaba recomendou aos órgãos licenciadores a não concessão da licença até que novos estudos sobre a viabilidade econômica e ambiental da obra sejam apresentados. O Departamento Hidroviário (DH), responsável pelo projeto, afirma que a extensão da hidrovia trará impactos positivos para a região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.