Polícia Militar Ambiental/Divulgação
Polícia Militar Ambiental/Divulgação

Ambiental apreende 387 toras de palmito em parque estadual no Vale do Ribeira

Multa aplicada soma quase R$1 milhão de reais; palmeira juçara está na lista vermelha das espécies da flora brasileira em perigo de extinção

José Maria Tomazela , O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2018 | 13h34

SOROCABA - Quatro homens foram flagrados pela Polícia Militar Ambiental quando transportavam 387 toras de palmito da palmeira juçara, planta ameaçada de extinção, no interior do Parque Estadual da Serra do Mar, em Pedro de Toledo, no Vale do Ribeira, sul do Estado de São Paulo. A multa aplicada aos quatro soma quase R$ 1 milhão de reais.

A abordagem aconteceu durante operação, no fim de semana, e foi divulgada nesta segunda-feira, 3, pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). A ação evitou que o palmito extraído de forma irregular fosse processado e industrializado. O produto e equipamentos usados na extração foram apreendidos.

Os homens foram multados em R$ 232,2 mil cada um, o que resulta em R$ 928,8 mil de multa para o grupo. Eles ainda vão responder a processo pelo crime ambiental. Cada tora de palmito corresponde a uma palmeira cortada no parque. Um dos detidos era procurado pela Justiça e, por esse motivo, acabou ficando preso. No dia 21 de novembro, a Ambiental já havia apreendido 5,3 toneladas de palmito juçara na mesma região, o que mostra a intensa atividade de palmiteiros na área. 

A palmeira é típica da Mata Atlântica e a extração do palmito resulta na morte da planta, causando um desequilíbrio ambiental, pois várias espécies da fauna silvestre se alimentam dos seus frutos. O corte indiscriminado levou a palmeira juçara a ser incluída na lista vermelha das espécies da flora brasileira em perigo de extinção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.