TONY GENTILE/REUTERS
TONY GENTILE/REUTERS

Aliança luta por reforma nas políticas pesqueiras da Europa

Coligação formada por empresários e ambientalistas vai apresentar proposta para evitar o desperdício de estoques pesqueiros

The Guardian

03 de fevereiro de 2011 | 15h48

Ambientalistas, aliados a redes de supermercados, advertiram hoje que a pesca europeia deve ser drasticamente reformada a fim de evitar a diminuição das populações de peixes. A coligação vai apresentar propostas para uma nova política comum da pesca, em reunião com Maria Damanaki, o comissário da UE para as pescas, na quinta-feira, em Londres.

 

Redes como a Sainsbury's, a Marks & Spencer, os membros da Federação de Alimentos e Bebidas do Reino Unido e a WWF formam a aliança inédita, que está empenhada em criticar as falhas da política pesqueira da União Europeia.

 

A revolta popular contra a prática de descarte de peixe, que foi destaque na série Fish Fight exibida no Channel 4 europeu, endossou a causa. Centenas de milhares de pessoas a assinar uma petição para pedir a reforma.

 

O principal argumento é de que o desperdício acontece porque o atual sistema de cotas de pesca da UE obriga o pescador a se desfazer de grandes quantidades de capturas. Quando ultrapassa a cota de peixes que pode levar no barco ou pesca espécies que não possuem cota estabelecida, o pescador é obrigado a devolver o excedente para o mar. A aliança também defende que e as cotas devem ser revistas, de modo que os estoques possam se recuperar.

 

Dois terços dos peixes capturados acabam sendo jogado de volta na água. Apenas no Mar do Norte, cerca de um milhão de toneladas de peixe são devolvidas a cada ano. Os animais geralmente voltam mortos ao mar.

 

A comissão considera as devoluções como "resultados de má gestão e práticas de pesca que não estão sintonizados com as necessidades do mercado e do consumidor", e visa introduzir as reformas em dois anos. A UE é o quarto maior produtor do mundo de peixes selvagens e de criação.

 

Alternativas para o descarte incluem permitir que os pescadores desembarquem todos os peixes que apanham, mas que se restrinja os dias em que são autorizados a pescar. Melhores tecnologias também podem ajudar os pescadores a identificar as espécies que procuram com mais eficiência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.