AIE prevê que fracasso no COP-15 custará US$ 500 bi ao ano

Diretor da Agência Internacional de Energia considera 'impossível' a assinatura de um tratado em Copenhague

Efe,

08 Dezembro 2009 | 14h17

O fracasso da cúpula da ONU sobre mudança climática (COP15) em Copenhague custaria US$ 500 bilhões ao ano à economia mundial, afirmou nesta terça-feira, 8, o diretor da Agência Internacional da Energia (AIE), Nobuo Tanaka.

 

Veja também:

linkEscândalo do 'Climagate' britânico macula cúpula climática

linkÚltima década foi a mais quentes da história, diz ONU 

linkFundo do clima pode excluir Brasil

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

especialRumo à economia de baixo carbono 

 

"Se não forem tomadas medidas imediatamente para reduzir as emissões de dióxido de carbono, serão necessários US$ 500 bilhões ao ano de investimentos adicionais para recuperar o tempo perdido e voltar à trajetória inicial", disse Tanaka, na apresentação de um relatório em Paris sobre energias renováveis.

 

Além disso, revelou que considera "impossível" que, em Copenhague, seja assinado um tratado internacional obrigatório.

 

"Uma mensagem muito firme deve ser enviada aos investidores do meio ambiente que Copenhague está criando. Sem uma mensagem clara, é difícil para o setor privado se comprometer nos investimentos", disse Tanaka, acrescentando que o mundo tem "uma grande oportunidade" este ano para agir contra a mudança climática.

Mais conteúdo sobre:
AIE Copenhague mudanças climaticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.