Agência pede medidas ousadas para conter emissões de CO2

O chefe da Agência Internacional deEnergia pediu a políticos mundiais que tomem medidas maisousadas, até mesmo impopulares, para reduzir as emissões de gáscarbônico na luta contra as mudanças climáticas, em umaentrevista a uma revista alemã no domingo. Nobuo Tanaka disse à revista Der Spiegel que a humanidadecaminha para passar de 27 bilhões de toneladas de gás carbônicolançadas por ano na atmosfera para cerca de 42 bilhões detoneladas por ano em 2030, e que isto levaria ao aumento datemperatura global. "Não podemos deixar que este cenário se torne realidade",teria dito Tanaka de acordo com a revista semanal. Segundo ele, os políticos devem encontrar formas de cobrarpelas emissões de CO2 para obrigar as indústrias a desenvolvertecnologias eficientes. "Os legisladores precisarão de muita coragem. Eles precisamdeixar claro ao povo de seus países, que a médio prazo, esta éa forma mais barata," disse Tanaka. "É arriscado para ospolíticos, mas eles precisam fazer isto." A AIE aconselha 26 países industrializados sobre políticasde energia. (Por Madeline Chambers)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.