Acordo climático de Kyoto está na 'UTI', diz governo indiano

Ministro do Meio Ambiente da Índia diz que países desenvolvidos pedem cortes obrigatórios para todas nações

REUTERS

16 de dezembro de 2009 | 08h25

O Protocolo de Kyoto, que obriga cerca de 40 nações ricas a limitarem as emissões de carbono, está na "Unidade de Terapia Intensiva" e negociações mundiais para estender o acordo sofrem um impasse, disse o ministro do Meio Ambiente indiano na quarta-feira, 16.

 

Veja também:

linkNegociações na cúpula climática ficam paralisadas  

linkBrasil aceita prestar contas para receber fundo

blog Blog da COP: o dia a dia na cúpula

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

especialRumo à economia de baixo carbono  

Mais de 190 países estão se reunindo em Copenhague com o objetivo de criar novas propostas para um novo acordo global para o combate às mudanças climáticas, esperando fechar um tratado completo no ano que vem para suceder o Protocolo de Kyoto.

Países em desenvolvimento querem que os países ricos tenham de cumprir suas obrigações com Kyoto, e assinem uma segunda rodada de compromissos mais rígidos a partir de 2013.

Mas Jairam Ramesh disse que muitos países desenvolvidos eram "veemente contra" o protocolo e alguns queriam um novo acordo único obrigando todas as nações a lutarem contra o aquecimento global.

"O sentimento que temos é de que (o Protocolo de) Kyoto está na UTI, se é que não está morto", Ramesh disse aos repórteres.

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTECLIMAINDIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.