Conteúdo Patrocinado

Ações sustentáveis ganham tração

Entre desafios e projeções incertas, agenda do setor tende a avançar

Media Lab Estadão, O Estado de S.Paulo
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

28 de março de 2021 | 07h00

O momento histórico do debate sobre a sustentabilidade planetária não poderia ser mais emblemático. Olhando para trás, são quase 30 anos desde a Eco- 92. O futuro, em compensação, acaba de ser redesenhado pela maior pandemia que a atual geração já vivenciou. Se as questões climáticas e socioambientais não estavam entre os assuntos prioritários da maioria dos gestores do setores público e privado, depois do coronavírus, tudo indica que elas estarão.

A ciência e todos os esforços da Organização das Nações Unidas (ONU) apontam que a próxima década será decisiva para a preservação do clima do planeta, o que implica, ao menos, preservação e recuperação florestal de um lado e redução do uso de combustíveis fósseis de outro. Mas as projeções não são animadoras. A velocidade de implementação das medidas para proteger a casa das futuras gerações, ou seja, toda a Terra, precisa aumentar. Nesse contexto, o papel do setor privado, da sociedade em geral e da ratificação de metas e ações no âmbito das relações internacionais, como o Acordo de Paris, passa a ser decisivo.

LEIA MAIS 

Biocombustíveis ‘high tech’ em alta

Uso da biodiversidade beneficia extrativistas

Mato Grosso: onde produção e sustentabilidade se encontram

Leis contra a biopirataria

Títulos verdes passam a ter mais lastro

Pasto e floresta equilibram o Pantanal

Turismo insustentável marca volta ao passado

ENTREVISTA Carlo Linkevieius Pereira, diretor do Pacto Global da ONU




 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.