Reuters
Reuters

Ações da petrolífera BP caem 15% e atingem nível mais baixo em 14 meses

Queda surge depois do fracasso dos últimos esforços da companhia para tentar conter o derramamento

Efe

01 Junho 2010 | 10h52

LONDRES - As ações da companhia petrolífera British Petroleum (BP), responsável pelo vazamento de petróleo no Golfo do México, caíram mais de 15% nesta terça-feira, 1, e chegaram a ser negociadas a 4,20 libras (cerca de R$ 11,05), seu nível mais baixo desde abril de 2009.

 

Veja também:

linkObama reúne 'comissão da mancha'; óleo se move para norte

linkCientistas alertam para 'desastre invisível' no Golfo do México

linkVazamento de óleo pode durar até agosto, admitem EUA

 

A queda no preço dos títulos surge depois do fracasso dos últimos esforços da companhia petrolífera para tentar conter o derramamento.

 

No sábado, a BP anunciou o fracasso de uma tentativa de conter o fluxo de óleo por meio da injeção de fluidos pesados, como lama, no poço. No total, a companhia injetou 30 mil barris de lama.

 

Agora há o medo de que o vazamento não possa ser contido durante pelo menos outros dois meses.

 

A BP informou que o custo total de seus trabalhos de limpeza já chega a US$ 990 milhões.

 

O derramamento se tornou o pior da história, depois que os cientistas corrigiram seus cálculos, que inicialmente contavam que o vazamento equivalia a 5 mil barris de petróleo por dia e agora consideram que o fluxo de petróleo chega a entre 12 mil e 19 mil barris diários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.