60 países se comprometem a deter desmatamento até 2020

Ministros assinaram documento da WWF em que reconhecem necessidade de reduzir desmatamento a zero

Efe,

29 de maio de 2008 | 19h11

Ministros do Meio Ambiente de 60 países assinaram em Bonn uma declaração da ONG Fundo Mundial da Natureza (WWF, na sigla em inglês) pela qual se comprometem a trabalhar para conter o desmatamento até 2020. A entidade explicou nesta quinta-feira, 29, que nos documentos preparados pela WWF, os ministros reconhecem a necessidade de reduzir a zero o desmatamento das florestas até 2020.   O recolhimento das assinaturas aconteceu durante a 9ª Conferência das Partes (COP9) da Convenção sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas (CDB), que termina amanhã, em Bonn.   Segundo a WWF, esse compromisso contribuirá para proteger a biodiversidade, deter a mudança climática e garantir o bem-estar da população. "A WWF espera que os Governos se envolvam no desafio que é reduzir a zero o desmatamento até 2020", afirmou o diretor-geral internacional da instituição, James Leape.   Leape pediu que outros países sigam o exemplo de Alemanha, África do Sul, Peru, México, Colômbia e Indonésia, e se comprometam com o cumprimento desta meta.   O diretor-geral da WWF International voltou a pedir à Conferência das Partes (COP) para que adote a "meta de desmatamento zero" em sua declaração final, que será divulgada amanhã.   "Os governos precisam agir imediatamente, ou iremos perder ainda mais florestas vitais para manter a nossa qualidade de vida", acrescentou Leape, que lembrou que cerca de 90% da biodiversidade da Terra está concentrada em florestas e selvas.   O ritmo de desmatamento, que gera 20% das emissões de dióxido de carbono (CO2) do planeta, atingiu um nível alarmante, segundo a WWF, com uma perda mundial de perto de 13 milhões de hectares ao ano, o que equivale ao desaparecimento de 36 campos de futebol por minuto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.