55 países apresentam metas de corte de CO2 para 2020

Metas de grandes emissores ainda são insuficientes para evitar aquecimento da Terra em níveis perigsos

Reuters,

01 Fevereiro 2010 | 18h24

Cinquenta e cinco países, que respondem por quase 80% das emissões de gases causadores do efeito estufa, definiram metas nacionais para combater a mudança climática dentro do prazo estipulado pelo Acordo de Copenhague, informam as Nações Unidas.

 

Veja também:

linkPaíses ricos oferecem pouco para conter aquecimento, diz ONU

linkMeta proposta leva a aumento de 3°C de temperatura

linkFMI criará Fundo Verde de 100 bilhões de dólares para o clima

blog Copenhague, um escândalo histórico

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialRumo à economia do baixo carbono     

 

"Isto representa uma importante injeção de vigor nas conversações da ONU sobre mudança climática", disse o principal encarregado da ONU para a questão, Yvo de Boer.  

 

Os países, incluindo os maiores poluidores do mundo - EUA e China - em sua maior parte apenas repetiram os compromissos que já haviam sido anunciados antes das negociações realizadas na capital dinamarquesa no fim do ano passado, e que não foram capazes de estabelecer um acordo de cumprimento obrigatório.

 

"Uma maior ambição é necessária para enfrentar o tamanho do desafio", disse de Boer. "Mas vejo esses compromissos como sinais claros de boa vontade em mover as negociações rumo uma conclusão bem-sucedida". O México sediará a próxima cúpula anual da ONU sobre o tema, em novembro e dezembro.

 

O Acordo de Copenhague busca limitar a elevação das temperaturas médias da Terra a menos de 2º C, e estabelece uma meta de US$ 100 bilhões de auxílio anual, até 2020, para que países pobres se adaptem à mudança climática.

Mais conteúdo sobre:
efeito estufa co2 copenhague

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.