Mercado de carbono resiste firme à crise financeira

Rodrigo Martins

20 Setembro 2008 | 21h02

Em uma semana movimentadíssima para a economia mundial, o mercado de créditos de carbono – que também são títulos financeiros negociados internacionalmente – resiste sem dar sinais de contaminação.

Na Europa, que tem um mercado próprio para negociar esses títulos – que lá são chamados de allowances e negociados na European Climate Exchange (ECX) – esse mercado cresceu 150% nos primeiros seis meses de 2008.

E vai continuar crescendo a despeito da crise que assola o mercado financeiro, na avaliação do diretor da ECX, Neil Eckert, em entrevista ao jornal inglês The Guardian. Ele admitiu perdas financeiras decorrentes da queda do preço das allowances, mas disse que isso foi mais decorrente da queda no preço do petróleo do que da reviravolta nos mercados.

O mercado voluntário de carbono permite que empresas que não possuem metas de redução da poluição sob o Protocolo de Kyoto compensem suas emissões de gases do efeito estufa. Este mercado é dominado por vários padrões, que surgiram para dar mais credibilidade aos projetos. E Esse mercado deve ganhar fôlego novo com a entrada da China no negócio, já anunciada.

Uma boa prova de que o interesse por créditos de carbono continuará firme será dada nesta semana, no dia 25, quando a cidade de São Paulo vai leiloar mais um lote de créditos de carbono do aterro Bandeirantes. Vamos acompanhar.