WWF filma raros tigres de Sumatra em área 'a ser desmatada'

Segundo o grupo de preservação, 12 tigres vivem em floresta indonésia pertencente a grupo madeireiro

BBC Brasil, BBC

09 Maio 2011 | 08h33

 

 

A organização ambientalista internacional WWF pediu nesta segunda-feira que madeireiras desistam de desmatar uma área de floresta na Indonésia onde foram registradas imagens de 12 raros tigres de Sumatra.

 

Os vídeos gravados em março e abril foram feitos com câmeras escondidas na floresta de Bukit Tigapuluh, no leste da ilha de Sumatra, e mostram duas tigresas brincando com quatro filhotes além de outros seis tigres da espécie ameaçada de extinção.

"O que não está claro é se encontramos tantos tigres porque estamos posicionando melhor nossas câmeras ou porque o habitat dos tigres está encolhendo tão rapidamente que eles estão sendo forçados a dividir pedaços cada vez menores de floresta", disse o líder do grupo que pesquisa os tigres em Sumatra, Karmila Parakkasi.

Segundo a WWF, os 12 tigres estão concentrados em áreas de floresta densa que incluem terras pertencentes à empresa Barito Pacific Timber, fornecedora de madeira para a gigante regional da indústria de papel Asia Pulp and Paper.

"O vídeo confirma a extrema importância destas florestas para o ecossistema de Bukit Tigapuluh e seu corredor ecológico", disse o diretor da WWF Anwar Purwoto.

"A WWF pede que todas as concessões operando nessa área abandonem planos de desmatar a floresta e que protejam as áreas com alto valor de preservação."

Atualmente há menos de 400 tigres de Sumatra vivendo na natureza. Ativistas ambientais dizem que os animais estão tendo cada vez mais contato com humanos devido à perda de seu habitat natural por causa do desmatamento para a exploração de madeira ou para a plantação de palmeiras.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
tigre leao turquia zoo ankara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.