WWF encontra mais de cem novas espécies em Bornéu

Entre elas estão lesma que dispara 'dardos de amor', sapo sem pulmão e o maior inseto do mundo.

BBC Brasil, BBC

23 Abril 2010 | 04h51

Uma lesma que dispara "dardos de amor" no acasalamento, um sapo sem pulmões e o inseto mais comprido do mundo estão entre as novas espécies de animais descobertas pelo grupo ambientalista WWF na ilha de Bornéu.

Em relatório divulgado na quarta-feira, a ONG revela que o projeto conservacionista batizado como "Coração de Bornéu", lançado em 2007, encontrou 123 novas espécies no território nestes três anos.

Segundo Adam Tomasek, chefe da iniciativa, apesar de ser visitada por cientistas há séculos, a ilha ainda tem áreas em seu interior que nunca foram exploradas.

De acordo com a WWF, este Coração de Bornéu é uma "ilha dentro da ilha", abrigando dez espécies de primatas, mais de 350 diferentes aves, 150 espécies de anfíbios e répteis, e 10 mil de plantas - todos sem igual no mundo.

"Se esse trecho de floresta tropical puder ser preservado para nossos filhos, a promessa de mais possibilidades de descobertas será animadora para as próximas gerações", afirmou Tomasek.

Bornéu é compartilhada por Brunei, Indonésia e Malásia.

Em acordo firmado em 2007, os governos dos três países se comprometeram em aumentar as áreas de reservas ambientais, em desenvolver o ecoturismo e apoiar a administração de recursos sustentáveis da ilha. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.