Vulcão Llaima registra mais explosões no Chile

Apesar das explosões e ruídos intensos, céu encoberto impede observar se houve expelição de lava

Efe

15 Julho 2008 | 15h50

O vulcão Llaima, no sul do Chile, voltou a entrar em erupção nesta terça-feira, 15, com explosões e ruídos intensos, mas o céu encoberto impede observar se houve expelição de lava, informaram nesta terça-feira, 15, as autoridades.   A erupção do Llaima, de 3.125 metros, situado na região de Araucanía e um dos mais ativos da América do Sul, começou a se intensificar na tarde desta segunda-feira.   Esse aumento da atividade vulcânica aconteceu depois de a presidente do Chile, Michelle Bachelet, realizar um sobrevôo pela região do Llaima e visitar 60 pessoas evacuadas em Cherquenco, cidade situada a 700 quilômetros ao sul de Santiago.   O Escritório Regional de Emergência da Região da Araucanía (Oremi, em espanhol) informou que o Rsan (medida da força interna do vulcão), aumentou de 19 para 500 unidades durante o dia, e por isso não se descarta a expelição de material incandescente a qualquer momento.   Segundo relatórios do Serviço Nacional de Geofísica e Mineração do Chile, desde maio de 2007 o Llaima tem apresentado uma atividade sísmica ligeiramente anormal acompanhada, esporadicamente, por pequenas emissões de cinzas e vapor d'água.   O vulcão, situado a 650 quilômetros ao sul de Santiago, entrou em erupção em 1º de janeiro, quando lançou lava que deslizou por mais de dois quilômetros, e voltou a entrar em atividade em 1º de julho, o que obrigou a evacuação de moradores e turistas.   Situado na convergência das placas de Nazca e Sul-Americana, que deram origem à Cordilheira dos Andes, o Chile faz parte do Círculo de Fogo do Pacífico e conta com mais de 2 mil vulcões, 125 deles ativos e dos quais 60 tiveram algum tipo de atividade eruptiva nos últimos 450 anos.   Um deles é o vulcão Chaitén, a 1.200 quilômetros a sul de Santiago, em erupção desde 2 de maio e obrigou o fechamento do Parque Pumalín, declarado Santuário da Natureza em 2006 por causa dos danos causados pela atividade vulcânica.

Mais conteúdo sobre:
Llaima chile meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.