Vazamento de petróleo pode ser o pior no Mar do Norte desde 2000

O rompimento de um oleoduto da Royal Dutch Shell no Mar do Norte provocou um "substancial" derramamento de óleo, que ainda está vazando para as águas, informaram a empresa e o governo britânico nesta segunda-feira.

SARAH YOUNG, REUTERS

15 Agosto 2011 | 13h59

O Departamento de Energia e Mudança Climática afirmou: "As estimativas atuais são de que o vazamento pode ser de várias centenas de toneladas".

Um derramamento de petróleo nessa escala seria o pior no Mar do Norte desde 2000, quando mais de 500 toneladas vazaram, segundo dados do departamento.

De acordo com a Shell, aproximadamente 216 toneladas de petróleo, o equivalente a 1.300 barris, se espalharam para o Mar do Norte, em um "vazamento significativo".

"Continuam os trabalhos para impedir a saída do petróleo remanescente na tubulação. Avaliamos que a atual taxa de vazamento é de menos de cinco barris por dia", informou a petrolífera em um comunicado separado, nesta segunda-feira.

O óleo proveniente do poço de Gannet, da Shell, está escapando para o mar desde quarta-feira, mas a quantidade diminuiu depois que a empresa o fechou, no mesmo dia.

Como comparação, no ano passado quase 5 milhões de barris vazaram no Golfo do México de um poço da BP.

"No contexto da UK Continental Shelf, o derramamento é substancial", disse um porta-voz do departamento, acrescentando que está sendo feita uma reavaliação da dimensão do problema.

A Shell informou que o incidente era um "vazamento significativo no contexto anual de óleo derramado no Mar do Norte".

(Reportagem adicional de Alex Lawler, Zaida Espana e Matt Scuffham)

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE PETROLEO DERRAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.