Bela Szandelszky/AP
Bela Szandelszky/AP

Vazamento de lama tóxica deixa 3 regiões da Hungria em emergência

O 'barro vermelho' é um resíduo que surge durante a produção de alumínio

EFE, EFE

05 Outubro 2010 | 09h49

A Hungria declarou estado de emergência em três regiões do país por um vazamento de lama tóxica de uma empresa de alumínio, em acidente que deixou quatro mortos, seis desaparecidos e 116 feridos.

 

O vazamento na cidade de Ajka aconteceu na segunda-feira, 4, depois da ruptura de um dique que continha um material conhecido como "barro vermelho", uma substância química muito tóxica, corrosiva e alcalina, o que motivou a declaração de estado de emergência nos condados de Veszprem, Gyor-Moson-Sopron e Vas.

 

Os mortos, um homem, uma mulher e uma criança, foram arrastados pelo lodo formado pela água e um milhão de metros cúbicos da substância química, segundo informações das autoridades.

 

O "barro vermelho" é um resíduo que surge durante a produção de alumínio e tem grandes quantidades de silício, ferro e outros metais pesados.

 

Os feridos sofreram queimaduras de diferentes graus ao terem contato com a substância corrosiva, sendo que oito deles estão em estado grave, de acordo com os serviços médicos.

 

"É uma catástrofe ecológica", afirmou o secretário de Estado do Meio Ambiente, Zoltán Illés, que indicou que o vazamento ameaça três rios húngaros, incluindo o Danúbio, o segundo rio mais longo da Europa, informou a agência MTI.

 

Para evitar que a substância cause maiores danos, as equipes de resgate, em helicópteros, tentam lançar gesso sobre a lama tóxica, assim como diferentes produtos neutralizadores sobre o rio Marcal.

 

Em Devecser, no condado de Veszprem, a água contaminada inundou mais de 400 imóveis, obrigando a remoção de seus habitantes.

 

Nos locais afetados foi proibida a circulação da população até que as operações de resgate sejam concluídas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.