Vazamento de gás perto de plataforma provoca evacuação na Escócia

Guarda Costeira determinou zona de exclusão no Mar do Norte; empresa diz que situação é 'estável'

Efe

27 Março 2012 | 09h51

LONDRES - A Guarda Costeira da Escócia criou nesta terça-feira, 27, uma zona de exclusão ao redor da plataforma petrolífera de Elgin, situada no Mar do Norte e de responsabilidade da companhia Total E&P UK, por causa de um grave vazamento de gás iniciado no domingo.

 

Após a constatação do vazamento de gás, o serviço da Guarda Costeira informou ter ordenado aos navios que mantivessem distância de ao menos 3,2 quilômetros da instalação e estabeleceu zonas de exclusão aérea de 4,8 quilômetros para os aviões. O incidente provocou uma nuvem de gás ao redor da plataforma, localizada a 240 quilômetros do litoral de Aberdeen (leste da Escócia), o que motivou a evacuação dos 238 trabalhadores que operavam ali "como medida de precaução".

 

A companhia Total E&P UK, responsável pela Elgin, indicou ao canal BBC que a situação é "estável", apesar de ainda não ter sido detectada a origem do vazamento.

 

O gerente de segurança e meio ambiente da empresa, David Hainsworth, declarou ao canal que está supervisionando a situação e não parece que exista aumento do vazamento de gás.

 

O analista também advertiu sobre a existência de riscos ocasionados pelo percalço. "o gás é inflamável, mas desligamos a eletricidade para minimizar o risco de incêndio", disse, acrescentando que "na melhor das hipóteses, o gás desta área não é muito produtivo e terminará apagando em semanas, se não em dias".

 

A gigante Shell retirou 85 funcionários da plataforma Shearwater, que fica perto do local do vazamento. O mesmo que fez a Noble Hans Deul, que removeu 117 empregados. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.