Unesco lança oficialmente o Ano Mundial da Biodiversidade

Entre os objetivos de curto prazo está o de aumentar o número de áreas protegidas ambientalmente

EFE,

21 Janeiro 2010 | 17h18

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) iniciou nesta sexta-feira, 21, com um ato em sua sede em Paris, o Ano Mundial da Biodiversidade, no qual quer fixar objetivos para reduzir a degradação do mundo animal e vegetal.

 

Merkel sugere um organismo para cuidar da biodiversidade

Conferência de Cidades discute índice de biodiversidade urbana

Aquecimento e acidificação da água elevam risco de extinções em massa

 

"Os países entrarão em acordo em outubro sobre um objetivo, do qual já temos alguns pontos", explicou Salvatore Arico, cientista responsável da Unesco, que ressaltou a pretensão de obter resultados em um prazo bastante curto, entre 2010 e 2012.

 

A cerimônia desta sexta representa apenas o primeiro contato de muitos outros que serão celebrados neste ano e que envolverão várias convenções, encontros e conferências por todo o mundo, para definir esses objetivos de redução de perda de biodiversidade.

 

Entre os objetivos de curto prazo está o de aumentar o número de áreas protegidas e o de planejar as atividades de diferentes setores econômicos, como o de transportes ou de agricultura, para que respeitem a biodiversidade.

 

A médio prazo, daqui a 2020, Arico explicou que se pretende "tentar reduzir de forma verdadeiramente importante a perda da biodiversidade".

 

Além disso, detalhou que o objetivo de muito longo prazo, para o ano de 2050, será obter o compromisso dos países de "frear totalmente a perda de biodiversidade e promover seu desenvolvimento em diferentes escalas".

 

Ao longo do ano serão celebrados outros atos similares ao de hoje, os maiores em Madri, Trondheim (Noruega), Nova York (EUA), Dar es Salaam (Tanzânia) e finalmente no Japão, onde ocorrerá o maior dos encontros, em Nagoia de 11 a 29 de outubro, assim como o dia de encerramento, em Kanazawa em dezembro.

 

Em entrevista coletiva na sede da organização, Ahmed Djoghlaf, secretário-executivo da Convenção sobre a Diversidade Biológica das Nações Unidas, reivindicou a importância de obter acordos entre a comunidade científica e os Governos e de se conseguir o "compromisso" dos diferentes Executivos para alcançar objetivos tanto globais como nacionais e regionais.

 

Djoghlaf destacou que todo o mundo deve ter uma "mudança de atitude" para preservar a biodiversidade para as gerações futuras.

 

Na próxima semana, de 25 a 29 de janeiro, a Unesco acolherá um novo ato sobre biodiversidade, que será inaugurado pela diretora-geral da organização, Irina Bokova.

Mais conteúdo sobre:
unesco biodiversidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.