Tigre tímido recusa-se a sair de sua caverna em zoológico

Há dois meses no novo lar, Nikki se recusa a passear pela área de exibição, que custou US$ 500 mil

12 Agosto 2008 | 16h55

Autoridades do Zoológico da cidade de Erie dizem que um de seus novos tigres Amur é tímido demais para explorar a área reservada aos animais, construída a um custo de US$ 500 mil. Nikki, um macho de 170 kg, recusa-se a sair de sua caverna e entrar na área de exibição pública desde que o setor foi aberto, há dois meses.   "Ele põe a cabeça para fora às vezes, mas é tudo", disse o principal administrador do zôo, Scott Mitchell.   Anna, uma fêmea de 135 kg, passeia regularmente pelo novo espaço. O portão da caverna de Nikki fica fechado quando Anna está por perto, porque eles ainda não se conheceram. Por enquanto, o zoológico espera que o cheiro que a fêmea deixa na área de exibição baste  para atrair o macho para fora.   Uma vez que ele se acostume ao olhar público - e a Anna - o zôo tentará pôr ambos os tigres em exibição ao mesmo tempo.   Tigres Amur são uma espécie ameaçada de extinção, e as autoridades esperam que Nikki e Anna venham a acasalar.

Mais conteúdo sobre:
tigre extinção timidez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.