Temer acredita em acordo sobre novo Código Florestal

Impasse entre ruralistas e ambientalistas em determinados pontos do texto causou o adiamento da votação

Agência Brasil,

05 Maio 2011 | 10h53

BRASÍLIA - O vice-presidente da República, Michel Temer, acredita num acordo sobre a proposta do novo Código Florestal. A votação está marcada para a próxima terça-feira, 10. Um impasse entre ruralistas e ambientalistas em determinados pontos do texto - como o que trata da consolidação das áreas de preservação permanente - causou o adiamento da votação na quarta-feira, 4. "Espero que consigamos votar [a proposta] nas próximas semanas e acho que teremos um acordo", disse.

 

Veja também:

blog Fernando Gabeira: O imprevisível novo Código Florestal

link ''A reforma da lei ambiental foi preparada por leigos, visando o lucro''

documento Íntegra da proposta do Novo Código Florestal

video Entenda o novo Código Florestal

 forum Aldo Rebelo:Código Florestal, o equilíbrio possível

lista A polêmica atualização do Código Florestal do Brasil

 

Temer se mostrou favorável à ação que partidos de oposição pretendem mover no Supremo Tribunal Federal sobre o excesso de assuntos em uma mesma medida provisória. A oposição deve recorrer ao Supremo tendo como exemplo o texto que concedeu ajuda a estados atingidos por tragédias naturais. Chamada de "Árvore de Natal", a medida provisória recebeu emendas com diversos assuntos desconexos com o texto principal, como a emissão de títulos públicos e o auxílio ao Haiti.

 

"Quando fui presidente da Câmara, não permitia que as emendas que fossem estranhas ao texto entrassem na MP. O que não é possível é propor emendas fora do contexto, com quatro ou cinco assuntos diferentes", disse.

 

Temer participa de seminário em comemoração aos 45 anos do PMDB na Câmara. Ao chegar para o evento, disse que seu partido está no caminho adequado, "reunindo grandes pensadores e políticos internacionais, preparando para as eleições do ano que vem".

 

Mais conteúdo sobre:
Código Florestal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.