Sustentáveis, econômicos e bonitos

Arquitetos do mundo todo tentam mostrar que é possível reunir soluções ambientalmente corretas e beleza

Aiana Freitas, O Estado de S. Paulo

05 Julho 2010 | 15h58

A sustentabilidade já é um conceito amplamente disseminado na construção civil. Agora, arquitetos do mundo todo tentam mostrar que é possível reunir soluções ambientalmente corretas e, ao mesmo tempo, investir na beleza de edifícios e casas.

 

Um exemplo da harmoniosa união da sustentabilidade com o design foi dado pelo escritório de arquitetura Philippon-Kalt, que inaugurou recentemente, perto da estação de metrô Barbes, em Paris, o primeiro prédio residencial com uma fachada feita de painéis que captam energia solar. As 17 unidades são destinadas a famílias de baixa renda – que, além de morarem num edifício inovador, de quebra ainda podem obter uma redução de até 40% nos gastos com aquecimento de água.

 

A fachada foi projetada com uma série de painéis azuis que ficam em frente aos terraços. Eles podem ser movidos e, ao mesmo tempo em que fazem a captação da luz, dão um ar moderno à construção.

 

A integração completa com o ambiente é a principal característica da H House, projetada a pedido de um casal morador da região de Maastricht, na Holanda. No interior, o que se vê é um loft com um mezanino central. Algumas poucas colunas retangulares sustentam as lajes. Todas as outras paredes, internas e externas, são de vidro, o que permite que a luz exterior tome conta do espaço. A privacidade, que inicialmente poderia ser uma preocupação, foi garantida pela criatividade dos designers. A casa possui uma série de cortinas que podem ser fechadas ao gosto dos proprietários e usadas, ainda, para dividir ambientes internamente.

 

Luminárias de curvas suntuosas

 

A fabricante de lâmpadas LZF, da Espanha, desafiou alguns designers a usar madeira para criar produtos para a linha “Light and Nature”. O resultado foram estruturas cheias de curvas que mais parecem instalações de arte. As luminárias, que podem ser penduradas no teto ou colocadas no chão, são todas marcadas por formas geométricas e cores. Entre os destaques está a peça criada pelo estúdio Luis Eslava e batizada de “Agatha”: uma luminária suspensa de madeira recortada que se parece com uma escultura de luz. Outro destaque é a coluna de lâmpadas “Totem”, do escritório Dämmer & Calvo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.