Shell admite dificuldade para conter vazamento de petróleo no Mar do Norte

Vazamento, que se estende por uma área de 41 quilômetros quadrados, é o maior da última década na região

Efe

17 Agosto 2011 | 11h28

 

LONDRES - A Shell admitiu nesta quarta-feira que o vazamento de petróleo em uma plataforma do Mar do Norte na semana passada pode aumentar pelas dificuldades que as equipes estão tendo para contê-lo.

 

A companhia continua tentando deter o vazamento que desde quarta-feira passada já derramou 218 toneladas de petróleo no mar, a 180 quilômetros de Aberdeen (Escócia).

 

O vazamento, que se estende por uma área de 41 quilômetros quadrados, é o maior da última década na região.

 

A Shell tinha afirmado na terça-feira que o vazamento não chegaria à costa, mas, o diretor técnico da companhia, Glen Cayley, reconheceu nesta quarta-feira que há toneladas de petróleo no interior do duto.

 

Além disso, admitiu em declarações à agência de notícias britânica "PA" que está muito difícil deter o vazamento pelo fato de o duto ficar em uma área de difícil acesso e rodeada de vegetação marinha.

 

"Até que se tenha eliminado totalmente o vazamento e a brecha seja fechada, existem riscos", acrescentou o diretor da companhia anglo-holandesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.