Sete capitais brasileiras aderem ao movimento Hora do Planeta

Além das capitais, cidades como Osasco, Porto Ferreira e Wenceslau Braz apagarão alguns de seus monumentos no próximo dia 27

Karina Ninni, AE

11 Março 2010 | 20h02

São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Campo Grande (MS), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ) e Manaus (AM) já garantiram adesão ao movimento Hora do Planeta, organizado pela WWF no mundo inteiro.  Além das sete capitais, as cidades de Canoas (RS), Castro Alves (BA), Osasco (SP), Porto Ferreira (SP), Wenceslau Braz (PR), Rio das Ostras (RJ), Barueri (SP) e Taubaté (SP) também prometeram apagar as luzes de seus principais monumentos no próximo dia 27, entre as 20h30 e as 21h30.

Realizado pela primeira vez na Austrália, em 2007 - quando 2 milhões de pessoas desligaram suas luzes durante uma hora – o movimento chegou ao Brasil no ano passado, contando com a participação de 113 cidades.

“Trata-se de um ato simbólico cujo objetivo é dizer ao mundo e às autoridades que estamos atentos para a questão do aquecimento global e suas consequências”, afirma Cláudio Maretti, Superintendente de Conservação para os Programas Regionais do WWF-Brasil.

Mais de 20 países, entre eles Nepal, Lituânia, Bangladesh, Ilhas Maurício e Ilha Cook, participam este ano pela primeira vez da Hora do Planeta. Cerca de 1.300 cidades de cem países já confirmaram adesão ao ato.

“Em 2009, conseguimos mobilizar aproximadamente 20 mil pessoas no Brasil inteiro”, contabiliza Maretti. “As adesões aconteceram de várias maneiras, dependendo do local. Em Manaus, por exemplo, o Teatro Amazonas apagou suas luzes e um grupo musical tocou para um público de mais de 750 pessoas, às escuras”, relembra.

Este ano, São Paulo deve apagar os mesmo ícones que foram apagados no ano passado: Ponte Estaiada, Monumento às Bandeiras, Viaduto do Chá, Estádio do Pacaembu, Obelisco e Parque do Ibirapuera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.