Sem acordo, texto deve ser definido no plenário

Para deputado do DEM, dificuldade de acordo com governo não pode atrasar votação

Agência Brasil

10 Maio 2011 | 18h11

Embora as negociações para a votação do Código Florestal na Câmara tenham sido intensificadas nas últimas horas, ainda não há um acordo sobre o texto que vai ser votado. O líder do DEM, ACM Neto (BA), disse que, apesar da disposição dos parlamentares para votar hoje a matéria, não há consenso sobre o mérito. Segundo ele, em reunião de líderes realizada há pouco ficou acertado que o relator Aldo Rebelo (PCdoB-SP) vai apresentar o texto em plenário e os parlamentares vão discutir as divergências.

 

Veja também:

blog Acompanhe a cobertura também pelo blog do Planeta

documento Íntegra da proposta do Novo Código Florestal

video TV Estadão: Entenda o novo Código Florestal

lista A polêmica atualização do Código Florestal do Brasil

O líder afirmou que as diferenças continuam concentradas em dois pontos: a isenção de averbação de reserva legal em propriedade de até quatro módulos fiscais e a consolidação das áreas de preservação permanente que já foram desmatadas e teriam que ser reflorestadas. ACM Neto ressaltou que não houve entendimento entre governo e Congresso nessas duas questões.

A grande maioria na Câmara é apontada como favorável ao texto de Aldo. Caso não haja acordo com o governo, a oposição, de acordo com ACM Neto, defende que a proposta de Rebelo vá a voto e, nos pontos onde houver discordância, o plenário decida.

 

Veja também:

linkPara líderes, votação do Código Florestal deve ficar para amanhã

linkAtivista do Greenpeace desconfia de acordo para Código Florestal

linkRuralistas anunciam acordo sobre Código Florestal

link Governo propõe reduzir dívida agrícola de quem recuperar área de proteção

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.