Divulgação
Divulgação

Secretário confirma que era caçador, mas nega ter matado capivara

João Carlos Souza Dias alegou ainda ter informado ao prefeito sobre a incompatibilidade antes de assumir a pasta do Meio Ambiente

Rene Moreira, Especial para O Estado

06 Agosto 2014 | 11h07

FRANCA - O secretário do Meio Ambiente de Arceburgo, no interior de Minas Gerais, João Carlos Souza Dias, confirmou que costumava caçar no passado, mas garantiu que não faz mais isso. E negou que tenha abatido a capivara cuja carne estava dentro do freezer em sua fazenda. "Eu tenho cachorro que não é de caça, é Fila, então eles pegam e matam mesmo", afirmou em entrevista à EPTV Sul de Minas na noite desta terça-feira, 5.

O secretário alegou ter pego a carne para não deixá-la estragando e que daria depois de volta para os próprios cães comerem. Dias assumiu a Secretaria de Meio Ambiente do município no início deste ano, mas disse ter avisado o prefeito sobre a incompatibilidade em ocupar à pasta. "Eu não queria, pensava que o histórico poderia prejudicar..." E completou: "Mas aconteceu, e eu vou provar que sou inocente e não abati o bicho".

Prisão. Dias foi preso na noite desta segunda-feira,4, em uma operação da Polícia Ambiental com outras corporações. Além de cinco quilos de carne de capivara, ele tinha em sua propriedade armas e munições. O secretário foi solto após pagar um salário mínimo de fiança, mas responderá por porte ilegal de arma e crime contra o meio ambiente. Somente neste último a pena prevista é de até um ano de prisão.

Outros dois amigos do secretário também foram presos e liberados, devendo responder às mesmas acusações. O prefeito Antônio Gregório Militão (PSDB) vinha dizendo que desconhecia o passado de caçador do secretário e que também pretendia esperar um pouco até tomar alguma providência. A secretária de gabinete dele informou à reportagem do Estado nesta quarta-feira, 6, que não havia aparecido para trabalhar até o final da manhã.

Ficha. João Carlos de Souza Dias, ou "João Chuvarada", como é mais conhecido na região, tem 57 anos, foi vereador pelo PP no período de 2008 a 2012 e autor do projeto denominado Lei da Ficha Limpa de Arceburgo. Baseada na legislação similar aprovada em nível nacional, a lei municipal 036/2011, criada pelo secretário, tem entre seus objetivos "proteger a moralidade administrativa" e vetar no poder público quem comete crimes, entre outros, contra o meio ambiente.

Mais conteúdo sobre:
Minas Gerais Arceburgo Capivara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.