Sabesp lança monitoramento de mananciais com parapente

Pilotos sobrevoarão cerca de 70 km² em três meses para detectar possíveis focos de desmatamento e poluição

Rejane Lima, Agência Estado

12 Julho 2008 | 13h39

A Sabesp lançou projeto de monitoramento dos mananciais do Litoral Sul de São Paulo feito por pilotos de parapente (espécie de asa delta com motor) que sobrevoarão uma área de cerca de 70 quilômetros quadrados nos próximos três meses para detectar possíveis focos de desmatamento e poluição. Batizada de "De Olho na Mata Atlântica", a ação é uma parceria com a Secretaria do Meio Ambiente/Fundação Florestal, Polícia Militar Ambiental e Associação Brasileira de Vôo Livre (ABVL) e auxiliará a preservação da Mata Atlântica.   O lançamento do projeto reuniu aproximadamente 80 pessoas, entre autoridades e moradores, na praia do Sonho, em Itanhaém, que acompanharam a demonstração de vôos. Inicialmente, serão realizados dois vôos semanais com dois pilotos cada, que munidos de GPSs, máquinas fotográficas e rádios-comunicadores, passarão informações precisas aos órgãos de fiscalização sobre situações irregulares. De acordo com o Superintendente Regional da Sabesp, Reinaldo Young, a idéia é sobrevoar áreas de Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe, onde estão os principais mananciais que abastecem o litoral Sul. "A expectativa é que os resultados sejam avaliados em 90 dias e que, aprimorado, o projeto possa continuar e se ampliar a outras regiões da Sabesp, como o Litoral Norte e até o interior do Estado", disse Young. O custo de três meses de sobrevôos é de R$ 15 mil.

Mais conteúdo sobre:
mata altântica meio ambiente são paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.