Sabesp afirma que região terá água tratada

Falta ainda contratação do projeto de instalação do poço artesiano

Bruno Versolato, especial para o Estado,

21 Março 2009 | 18h13

O distrito de Engenheiro Marsilac surgiu com a construção do ramal Mairinque-Santos da antiga Estrada de Ferro Sorocabana, que começou a operar em 1937, mas foi inaugurado oficialmente em 1938, por Getúlio Vargas. Só em 2004 chegou a primeira obra de saneamento básico à região: um poço artesiano perfurado pela Sabesp com vazão de 55 metros cúbicos por hora. Hoje, o poço está tapado por um tubo preto enterrado no chão, num terreno perto do centro do distrito.

Em 2006, o Ministério Público Estadual (MPE) entrou como uma ação contra a Sabesp pedindo a instalação de um serviço de distribuição de água e esgoto. O processo ainda corre na 2ª Vara de Fazenda Pública, à espera de um estudo da Sabesp para atestar a viabilidade ambiental da obra.

Em comunicado, a Sabesp informa que já foi concluído um estudo para a construção de uma rede de distribuição de água tratada para cerca de mil moradores do centro de Marsilac. Mas falta ainda a contratação do projeto executivo de instalação do poço artesiano.

Quanto ao esgoto, a Sabesp informou que a melhor solução para o bairro será a abertura de fossas sépticas em cada habitação. A Sabesp não deu um prazo para a conclusão das obras.

O distrito não é inteiramente desprovido de saneamento. Uma parte mais habitada, próxima do Embu, tem um poço em funcionamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.